Istanbul day 5

Acordei com um misto de alegria e saudade no nosso quinto e último dia de viagem... Tudo havia sido tão rápido e, ao mesmo tempo, intenso! Não queria ir embora... Aquele gostinho de "quero mais" típico dos viajantes me dominou por completo. Já tinha certeza do quanto iria sentir falta de Istambul! Deixamos o hotel por volta das 10 horas, observando e guardando todos os cantos e detalhes na memória.

A manhã começou no Grand Bazaar, pois ainda não havíamos passado por lá. Que lugar gigante... Num piscar de olhos eu já estava perdida entre os corredores e chamados dos turcos-vendedores: "Come on, Madam! We have leather, carpets, porcelain and very good price!". Mesmo sabendo que ali não era nem de longe o lugar ideal para fazer alguns achados, não resisti. E quem resiste a este mundo de tesouros? Era o último dia e, de repente, tudo o que antes parecia dispensável agora precisava caber na minha mala. Começando por estes lustres maravilhosos...

Depois dos lustres (comprei um lindo para o meu quarto!) vieram as bolsas e mochilas, semi-jóias e pashminas. Encontramos em uma loja incrível a mais linda que já vi na vida... Azul turquesa, toda bordada, daquela que merece ser usada para sempre. Um ótimo investimento, direto para o meu look!

Caminhando por Sultanahmet paramos em vários restaurantes e cafés super coloridos, que combinavam com o dia ensolarado. É praticamente uma lei universal: comprar dá muita fome! Logo pensei no restaurante sugerido por uma leitora no instagram, o Palatium. Ele ficava ali pertinho, em cima de um dos lugares mais antigos do mundo... As passagens subterrâneas de Sultanahmet!

Estávamos quase chegando no restaurante, quando ouvimos um dos sons mais típicos de Istambul: os minaretes cantando e chamando os muçulmanos para a reza. Em um instante, no meio de todo o comércio e confusão dos turistas, um grupo de homens, entre eles vendedores, passantes e policiais, forrou seu tapetinho no chão e ali se pôs em oração. Fiquei arrepiada... Lindo ver a fé mover o mundo!

O Palatium foi uma excelente surpresa! Comida maravilhosa, ambiente aconchegante, perfeito para um almoço prolongado no último dia, que não teve a correria dos outros. O que a gente queria era passear, curtir, se deixar levar pelo que aparecesse. E é claro que em Istambul sempre acontece muita coisa!

Foto na caverna embaixo do restaurante... Demais!

Assim que deixamos a caverna, Marina ficou louca quando viu a peça onde são feitos os tapetes... Sempre animados, os turcos se sentiram honrados com a sua curiosidade e nos convidaram para entrar... Em outras palavras, para tomar chá!

Em poucos minutos eles nos contaram toda a história dos "tapetes mágicos"... Como são criados, quanto tempo demoram para ficarem prontos (as vezes, mais de anos!), ou como identificar os que são feitos à mão. Como é simpático, este povo turco! Enquanto tomávamos chá, o dono da loja nos contou toda a sua história de vida, emocionante: quando chegou à Istambul teve que passar dias morando na rua, e hoje, alguns anos depois, era dono de tudo aquilo. "Keep the good things in your heart", ele dizia. Ficou tão encantado com a Marina que praticamente ganhamos os tapetes de presente... Além de uma lembrança muito especial.

A última parada foi no Arasta Bazaar, cheio de peças diferenciadas e especiais. Neste caso, as fotos mostram muito mais:

Nos despedindo do dia, com a gigante Aya Sofya... Só para nos apaixonarmos uma última vez!

Na volta para o hotel, esse souvenir deve ter aparecido propositalmente, depois de ler a minha mente! Já era hora de ir embora, mas parte do meu coração ficaria ali... Na cidade mágica, apaixonante, de sons e aromas contagiantes, cheia de história para contar e um mundo novo a apresentar."I left my heart in Istanbul...".