Nice, Verão 2018 - L'été est arrivé

Quando cheguei à Nice, ela fervia de calor. Assim como o meu coração: mas ele era de vontade de viver. Não conheço um despertar para a alma mais intenso do que esse. Chegar a um lugar ainda inexplorado por você e imaginar todas as aventuras que vai viver ali.

Fui para a França porque sou louca pelo país. A cultura, o sotaque, o humor, le bonheur. Decidi fazer um curso de francês com a duração de 4 semanas na France Langue (eu amei!) e com a escola mesmo consegui um apartamento simples e pequenino, que foi tão meu! O nome da residência estudantil era Azur Campus 2 e me lembro perfeitamente de pesquisa-la deste mesmo computador onde escrevo agora, desvendando todos os cantos e ângulos que o google maps me oferecia.

Do meu balcon, pra rue Assalit.

Do meu balcon, pra rue Assalit.

DSC02102.jpg

A rotina em Nice era tão prazerosa que nem sei se deveria ter esse nome. Eu acordava cedo todos os dias para as aulas da manhã, que duravam 4 horas. Após o almoço eu estava livre para ir à praia, explorar a cidade, descobrir um novo marché, visitar as inúmeras cidades vizinhas pela côte d’azur ou só curtir o meu próprio apéro (tipo um happy hour dos franceses) na varanda do apartamento.

IMG_2751.JPG
Acima: Pós-praia a caminho do mercado | Abaixo: registros da primeira segunda-feira a tarde, explorando a  Vieux Nice  (parte antiga e histórica da cidade)

Acima: Pós-praia a caminho do mercado | Abaixo: registros da primeira segunda-feira a tarde, explorando a Vieux Nice (parte antiga e histórica da cidade)

As coloridas ruas da cidade antiga. Até as roupas no varal pareciam estrategicamente posicionadas.

As coloridas ruas da cidade antiga. Até as roupas no varal pareciam estrategicamente posicionadas.

Na primeira vez que me perdi pela cidade, descobri a feira de antiguidades no Cours Saleya, que acontece todas as segundas. Nos outros dias, o movimentado quarteirão abriga um lindo mercado de flores e as melhores delícias da França: frutas e legumes frescos, temperos, cogumelos, azeitonas, queijos, pães…

Acima: Achados no marché antique | Abaixo: eu e Miranda explorando o mercado após um petit dejeuner especial.

Acima: Achados no marché antique | Abaixo: eu e Miranda explorando o mercado após um petit dejeuner especial.

Mesmo em meio a tantas outras perdições, eu sempre me rendia ao Pain au Chocolat :)

Mesmo em meio a tantas outras perdições, eu sempre me rendia ao Pain au Chocolat :)

Minha loja preferida, na Rue de la Préfecture, 3. Não foram poucas as visitas a este lugar.

Minha loja preferida, na Rue de la Préfecture, 3. Não foram poucas as visitas a este lugar.

Quase todas as manhãs eu buscava meu café nesta boulangerie, em frente à estação do tram (trem de superfície da cidade) mais perto da escola.

Quase todas as manhãs eu buscava meu café nesta boulangerie, em frente à estação do tram (trem de superfície da cidade) mais perto da escola.

49.jpg

O meu verão em Nice foi feito de dias calmos. O tempo realmente não tinha pressa alguma em passar. Curti a minha própria companhia nos terraços de cafés e na tranquilidade do meu balcon, com a mesinha cheia de delícias da epicerie da esquina. Todo dia tinha queijo, geleia e um pouquinho de rosé. A pele sempre ardida no lençol, pelo excesso de sol. Meus cabelos só conheciam a água do mar. Minhas mãos escreviam no diário histórias que poderiam ser roteiro de um filme bonito. Meu coração, até hoje, morre de saudade.