My Blog is My Job Lifestyle
18 JUNHO. 2014
92 COMENTÁRIOS

Processed with VSCOcam with s3 preset Processed with VSCOcam with f2 preset

Esse é um post que vocês vão gostar. Na verdade, não sei porque ainda não tinha escrito sobre isso antes… A minha vida de blog! Quase todo mundo que me pergunta o que eu faço e escuta “eu tenho um blog” faz cara de espanto… Logo depois costumo dizer “e também faço faculdade de direito” e a expressão fica mais aliviada, tipo “ah, bem!”. Eu sei, é estranho mesmo… Tudo aconteceu muito de repente e, realmente, a quantidade de blogueiras e aspirantes é assustadora, pra não dizer gigantesca.

Mas não quero lhes falar sobre a rotina das blogueiras, o que elas fazem, como ganham dinheiro, porque juro, eu não sei! Todo mundo é diferente, por isso falo só por mim, simples assim. Não gosto de me intitular blogueira, acho trivial demais. Prefiro o termo “empreendedora” que, segundo o dicionário, representa alguém que se aventura a realizar coisas fora do comum, inovadoras e criativas. E foi o que eu fiz: não encontrei o meu emprego dos sonhos e, por isso, precisei cria-lo.

Nunca trabalhei para nenhuma empresa, porque tenho idéias que não costumo limitar. Acho que não daria certo, sabe? Se minha chefe me diz que fica melhor daquele jeito, e eu acho que fica melhor do outro, não vou fazer o trabalho com o mesmo amor. Por isso pensei que, criando o meu, eu faria melhor… E assim descobri que deveria adotar o empreendedorismo como profissão… E por que não? É como neste quote, que eu adoro:

9bda51f27d9bf30f51d72c4e2c5eee17

“Se você não construir seus sonhos, alguém irá te contratar para ajudar a construir o dele”

Mas não foi fácil me encontrar, não mesmo… Faço faculdade de direito e não me arrependo, já até cogitei fazer concurso e viver disso, hoje nem penso! Tenho plena consciência de que serei feliz vivendo o que eu faço, criando o meu espaço, trabalhando com o que deixa a minha alma brilhando. Não faço idéia do que vai acontecer, tenho muitos projetos, alguns em prática e outros nos sonhos, mas, por não olhar para trás, sei que estou no meu caminho. Acho que não existe caminho certo, sabe? É perda de tempo querer trilhar o caminho do sucesso de outra pessoa quando você deveria estar construindo o seu.

Como tudo na vida, ser uma “empreendedora” tem seus prós e contras. É ótimo fazer o seu próprio horário de trabalho, mas ele requer muita, muita disciplina. Quem trabalha de 8h às 17h sai do escritório e pode pensar em qualquer coisa… Já o blog não sai da minha cabeça, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Não tem hora, mas também não tem “férias”. São muitas partes da minha vida que eu mostro aqui, e elas não pausam nunca.

O dinheiro? É relativo. Um mês pode ser bom, o outro péssimo, você nunca sabe. É difícil trabalhar com o que nem todos conhecem e reconhecem. E, sim, prefiro recusar um trabalho a ganhar por algo que não me agrade… Me ensinaram que nada pode pagar pela credibilidade: a gente constrói. Também fui ensinada a fazer acontecer: não está feliz? Mude! Solução para drama sempre foi bronca (obrigada, mãe!).

Eu tenho o meu blog, que ainda é pequeno, mas é tão meu. Nada me faz mais feliz do que um comentário de vocês, que conseguem entender e captar tudo o que eu tenho para mostrar. É claro que a minha vida não é só o que mostro aqui… Não se iludam com o glamour, comparando holofotes com bastidores. Eu posto o que gosto, o que me encanta, o que descubro por aqui ou pelo mundo. Eu compartilho o que pode arrancar sorrisos, trazer amigos e inspirações. Com vocês, eu divido as minhas paixões, e não conheço melhor forma de trabalhar.

Obrigada por tornarem isso possível!

E você, já pensou no que te faz feliz? Fala ai gente!